Bem-vindo ao teu blog!

Este blog visa permitir uma maior interactividade entre professor e aluno(a) e ser uma ferramenta de estudo e aprofundamento.

sábado, 2 de Janeiro de 2010

A democracia ateniense



A principal característica da democracia ateniense e ser uma democracia directa, uma vez que os cidadãos atenienses participam directamente na vida política da cidade.


Na cidade-estado de Atenas, os órgaos de poder eram os seguintes:


- Eclésia - constituída por todos os cidadãos, que aprovava as leis, decidia a paz ou a guerra, elegia as magistraturas mais importantes e votava o ostracismo;


- Helieu - tribunal composto por 6000 cidadãos, que julgava os casos de não cumprimento das leis da cidade;


- Bulé - conselho permanente de 500 cidadãos, sorteados entre as tribos (50 por tribo), que elabora as leis a aprovar pela Eclésia;


- Estrategos - chefiavam o exército e dirigiam a política externa;


- Areópago - funções judiciais e religiosas.


O regime democrático trouxe importantes inovações:

- o cargos políticos eram sorteados;

- a duração dos cargos era limitada;

- na participação dos cidadãos na vida política.


A democracia atteniense tinha, no entanto, importantes limitações. Na verdade, só os cidadãos atenienses, cerca de 10% da população, participavam na vida política (os metecos, as mulheres, os filhos menores dos cidadãos e os escravos estavam dela excluídos). A existência de escravos, o imperialismo de Atenas em relação às outras cidades da Liga de Delos e a prática do ostracismo são também consideradas como "imperfeições" ou "limitações" da democracia ateniense. No entanto, apesar das suas imperfeições, o regime político de Atenas foi seguido em muitas cidades gregas e serviu de modelo às democracias modernas.

Sem comentários:

Enviar um comentário